dead island game of the year edition goty zumbi ps3 - Retro Games

PlayStation 3  >>  Jogos  
#6568 - dead island game of the year edition goty zumbi ps3













Valor: 58,89
Contato: Ver Telefone

Visitas:452
Estado: Não Informado
Localidade: Brasil - SP - Jau
Aceita Troca: Não
Original: Sim
Possui Caixa: Sim
Possui Manual: Sim

Fazer uma pergunta ao vendedor  
Nome: *

E-mail: *

Telefone:

Pergunta: *


    



Detalhe do anúncio
descrição do anúncioenviamos pelo e-sedex - temos outros jogos - game ps3 www.lojaarenagames.com.br/frete/frete.php dead island game of the year editionjogo playstation 3novo agame of the year editionincorporará diretamente atualizações lançadas posteriormente para o jogo, as quais incluem consertos de bugs e outros tipos de melhorias. além disso, não é necessário pagar por conteúdos que foram vendidos separados em dois dlcs de us$ 10 (r$ 20) cada. o dlcblood bath arenaadiciona quatro arenas para se enfrentar hordas de zumbis em sequência e testar sua capacidade de sobrevivência. uma das grandes vantagens é que os pontos de experiência e itens que se recebe neste modo podem ser carregados para a campanha principal. mas o principal atrativo é o dlcryder white, que permite vivenciar a história do ponto de vista do vilão, entendendo melhor seus motivos e talvez até simpatizando com ele. trata-se de uma campanha independente, com várias horas de aventura e um maior aprofundamento no enredo do jogo e do personagem. imagine que você é o produtor (ou produtora) de um jogo. um título que ainda não é sequência de uma série famosa ou que nunca sequer foi anunciado antes, algo inédito em termos de história para sua empresa. como vamos proceder para que este game seja bem falado junto ao público e também ganhe destaque na imprensa especializada? cavucadão cavucadão cavucadão (repita 3x) você tem muitas opções para que isso ocorra de forma correta. há diversas manobras utilizadas pelos estúdios para realizar propaganda de seus respectivos games. que tal mostrá-lo em grandes feiras? como a e3, tokyo game show, entre outras. contrate também uma assessoria de imprensa para realizar o trabalho de divulgação aos jornalistas. ah, não esqueça de preparar uma demonstração jogável, para que os jogadores possam testar e ver que seu produto é de qualidade antes de lançá-lo no mercado (e assim garantir algumas pré-vendas). outras companhias preferem seguir um caminho... mais exótico.foi o caso da techland, responsável pela série call of juarez, que nos trouxe agora o jogo dead island. em uma primeira olhada, logo pensamos se tratar e um ''clone'' de left 4 dead, com todo o lance de quatro sobreviventes contra hordas de mortos-vivos. mas leve em conta que dead island foi anunciado um pouco antes. o problema é que sua produção foi eclipsada, enquanto muitos achavam que o jogo já teria sido cancelado. o que fazer neste caso, hein, techland?é muito simples, comissário. basta voltar com tudo. e dead island voltou! um super-trailer foi lançado pela techland, com todo um clima cinematográfico e com todos os requintes de horror e tensão que um filme ou jogo de zumbis pode proporcionar. não deu outra: o trailer arrebatou multidões, inclusive pessoas que sequer tinham ouvido falar do game ou que nem se interessavam muito por jogos eletrônicos. mas tal trailer acaba sendo uma faca de dois gumes para a techland e também para o jogador.primeiro de tudo, tenha em mente que o trailer em questão não é videogame, aquilo é puro cinema. tanto que foi produzido com uma cena totalmente pré-renderizada, que não representava nem de perto o gráfico do jogo. em segundo lugar, entenda aquele trailer mais como um prólogo para o jogo do que a representação do que é o jogo em si, também distante da jogabilidade como um todo.com isto em mente, vamos analisar dead island, podemos? o game nada mais é que uma grande aventura de mundo aberto, onde o jogador precisa completar missões e encarar zumbis pelo caminho. o cenário é a fictícia ilha de banoi, localizada em papua nova guiné, ali nas proximidades da austrália, então pense que ao menos é um cenário bonito, paradisíaco e tudo mais. logo este cenário é misteriosamente invadido por zumbis, que mordem outras pessoas, que se transformam em zumbis e por aí vai, naquela velha fórmula que todos já conhecem.o game lembra left 4 dead no sentido que possuímos quatro personagens jogáveis, além da presença de jogo cooperativo em rede. mas vamos com calma, pois o primeiro problema de dead island começa aqui, nos personagens selecionáveis. não que eles sejam ruins ou mal encaixados na trama, mas a história não varia entre cada um. ora, porque nos apresentar a xian mei, uma funcionária do hotel da ilha, se ela começa o jogo deitada na cama, como um hóspede? ou então por que mostrar o rapper sam b no palco no início do jogo e depois começarmos a jogar com ele na mesmíssima situação que xian mei? os personagens poderiam ao menos começar em pontos diferentes do mapa, ainda que seguindo a mesma história. mas não é o que ocorre.a partir daí o que temos é a jogabilidade pura e simples. dead island é jogado em primeira pessoa (com elementos de rpg) e parte da premissa de um jogo de mundo aberto, ainda que limitado pelo território da ilha de banoi. após acordar, o jogador é guiado por uma voz que o leva aos demais sobreviventes. por algum motivo, seu personagem é o único que não é afetado pelo vírus zumbi, mesmo que seja mordido. por isso, quem você acha que é o lindinho que vai encarar todos os perigos da ilha? ah, que fofo, se não é você mesmo, né? encontrados os outros sobreviventes, é hora de começar a cumprir missões dadas por diversas pessoas na ilha, não só as que estão contidas no grupo inicial. o game tem como ponto forte sua evolução na história, pois realmente lembra um destes filmes modernos de zumbi. você vai encontrando outros sobreviventes, unindo pessoas, destruindo outros grupos (sempre tem os rebeldes, não é?). o problema, porém, não está nos humanos, e sim nos zumbis. sim, eles são ameaçadores, sim, eles são feios (no bom sentido da coisa) e sim, eles são ''bugados''. pois é, os rumores não mentiram. os inimigos estão ali, espalhados por todo o mapa, mas oferecem algumas experiências controversas, e não exatamente aterradoras. os bugs são os mais diversos: zumbis voando, colisão, na inteligência artificial, entre outros. como muitos já puderam conferir no youtube e até mesmo nas notícias aqui do site, o game peca bastante neste ponto.mas, ainda assim, apesar de todos os bugs, os zumbis cumprem seu papel: o jogo é assustador no final das contas. sobreviver às criaturas não é tarefa tão fácil quando eles se juntam ao seu redor, principalmente quando há um zumbi do tipo especial por perto (mais forte, maior, com habilidades e por aí vai). na verdade, mesmo com todos os problemas que vimos durante o jogo foram bem compensados com a atmosfera do game. seu personagem sai dos locais seguros e está sozinho, na base do ''se vira''. e isso é bem legal.você vai vaguear pelos cenários em busca de itens, armas (elas são escassas, principalmente armas de fogo) e outros itens, como kits de primeiros socorros e bebidas (uma das primeiras e mais importantes missões do jogo, aliás). os kits, aliás, são vitais ao seu personagem, já que o jogo foge do esquema de recuperação automática da energia com o tempo. no máximo ele recupera o fôlego (utilizado para correr e atacara inimigos), ou recupera-se pouco por meio de habilidades destrancáveis. energia, porém, só com itens. isso o torna muito mais difícil? nem tanto. mas ajuda no clima de terror constante. "pô, foi mal aê pelos bugs e tal" os efeitos sonoros também são os responsáveis por uma ajudinha extra à atmosfera, ao menos no que diz respeito aos zumbis. é meio tenebroso estar em um determinado local, aparentemente vazio, e simplesmente começar a ouvir gemidos de locais que você não sabe onde. por outro lado, a parte sonora volta a equilibrar as coisas para o lado ruim ao menos em termos de dublagem e trilha sonora, todas bem ruinzinhas, principalmente dublagem, que é fraca toda vida.dead island não possui gráficos arrebatadores. sabe aquele vasto sistema de deformação de pele mostrado pela produtora, bem antes do lançamento? se ele existe no jogo, não notamos, de tão insignificante que nos pareceu. tenha em mente ainda que praticamente todo o restante do trabalho gráfico do game não chama a atenção, com destaque (negativo) para os personagens humanos, não-zumbis, mais genéricos e sem inspiração o possível.dead island fica um pouco mais interessante se jogado de forma cooperativa, com amigos somente em rede (pois é, nada de local), onde cada um controla os outros sobreviventes selecionáveis. mesmo com o multiplayer, porém, a experiência ainda é bem diferente da que foi vista na série left 4 dead. talvez o mais correto seja comparar o título com os games do estúdio bethesda como elder scrolls e fallout -, por contado sistema de mundo aberto e, claro, por conta dos inúmeros bugs.a techland estava bem com a série call of juarez e quis se aventurar em outro gênero, o de zumbis e horror, ainda que mantendo o esquema de primeira pessoa. o problema é que dead island, o game da vez, pretende ser muito maior do que pode, o que acaba gerando alguns bugs bem chatos durante as partidas. o clima, tudo bem, é assustador, e os zumbis conseguem passar um certo medo, ainda mais quando atacam em grupo. os problemas moram ainda em outros pontos do título, como a falta de multiplayer local, trabalho de dublagem de baixa qualidade e gráficos sem muito destaque. apesar dos pesares, o jogo se esforça para mostrar que pode durar bastante tempo na mão do jogador mais explorador (vasculhando cada canto da ilha de banoi) e também pode ser divertido ao ser jogado com amigos (sim, mesmo que só online). os fãs do gênero também devem curtir, já que ele replica bem a evolução de um filme moderno de mortos-vivos. garantia: jogo 100% original.


Perguntas
Nenhuma pergunta feita, voce pode ser o primeiro!

Telefone
Falar com:
ALAN DIEGO POLINI - ME
Telefone 1:
14-34161139
Telefone 2:
14-34161139